Brasil vai reafirmar, no Marrocos, compromissos com acordo climático

Sonia Racy

15 Novembro 2016 | 13h42

Em Marrakesh, no Marrocos, onde está no evento climático COPP 22 — uma atualização dos compromissos do Acordo de Paris do ano passado — Sarney Filho deverá reafirmar, diante dos cerca de 200 países ali presentes, a disposição do Brasil de cumprir as metas de redução de carbono prometidas no Acordo de Paris, em dezembro do ano passado.

O ministro, que lá chegou anteontem, já fez com a equipe do Meio Ambiente um pente fino no que ocorreu nos primeiros dias do evento — e levou uma boa notícia, a de que Temer vai vetar um “jabuti” enfiado em uma MP pelo qual se dariam incentivos ao uso de carvão mineral na geração de energia.

Do encontro participam cerca de 200 brasileiros.

Primeiro teste para Trump

A vitória de Donald Trump nos EUA e seu impacto na posição americana e no futuro da causa climática dominaram as conversas entre os ambientalistas. A conta que se faz é que o primeiro “teste climático” do futuro presidente americano acontece já nos primeiros dias de seu governo. Trata-se da ajuda financeira dos EUA ao Fundo Verde, prometida por Obama e por sua então secretaria de Estado Hillary Clinton. A maioria acredita que Trump vai mudar a posição do governo. 

Obama havia concordado em repassar ao fundo uma ajuda inicial de US$ 3 bilhões — de um total de US$ 20 bilhões. Mas até agora só foram entregues US$ 500 milhões.

Os outros US$ 2,5 bilhões dependerão do OK de seu sucessor. Para cumprir seus objetivos, o fundo precisa de US$ 200 bi até 2020.