Brasil e Colômbia criam base comum para combate à corrupção

Sonia Racy

19 de fevereiro de 2018 | 12h44

Os governos de Brasil e Colômbia vão adotar, juntos, uma “política integral para prevenir e combater o suborno de servidores públicos estrangeiros”. Na prática, isso significa compartilhar informações, métodos de investigação e sanções administrativas a empresas privadas em práticas ilícitas, como “em casos de suborno transnacional”.

O trabalho conjunto pode representar importante ganho de tempo para investigar e denunciar. E, entre outras, poder aplicar aos eventuais investigados, do lado brasileiro, as normas previstas na Lei Anticorrupção, a 12.850.

Acordo a respeito acaba de ser firmado em Bogotá entre o Ministério da Transparência e autoridades colombianas. É o primeiro passo de uma estratégia maior: até o fim do ano, a CGU, braço executivo do ministério, quer acordos bilaterais semelhantes com todos os países da América Latina.

Tendências: