Bolsonaro não fez nada pelo agronegócio, diz Ana Amélia em jantar

Bolsonaro não fez nada pelo agronegócio, diz Ana Amélia em jantar

Sonia Racy

18 Setembro 2018 | 01h00

ANA AMÉLIA. FOTO: GERALDO MAGELA/AGÊNCIA SENADO

ANA AMÉLIA. FOTO: GERALDO MAGELA/AGÊNCIA SENADO

Em jantar para integrantes da iniciativa privada na sexta-feira, Gustavo Junqueira, ex-presidente da SRB, ao apresentar a senadora Ana Amélia aos convidados, advertiu que tudo que o País não precisa nesse momento é de radicalismo. “Estamos correndo risco alto de trazer as políticas populistas de volta ao Brasil e, portanto, é hora de refletirmos bem sobre nossas obrigações cívicas e votar com a cabeça, não com o fígado.”

A conversa girou em torno do temor do desembarque da candidatura Alckmin por eleitores que, aterrorizados com a subida de Haddad nas pesquisas, optem pelo voto útil. “Isso pode colocar todo o esforço dos últimos anos em risco”, ponderou empresário presente.

Ana Amélia, vice do candidato tucano, ressaltou ali que, ao longo dos últimos 27 anos, o candidato Bolsonaro não fez nada pelo agronegócio ou pelo setor produtivo. “Ele sequer sabia que existia agro no Brasil”, atacou.

Eleita em 2010, a senadora gaúcha adotou o agro desde seu primeiro dia de mandato, aprovando leis importantes que beneficiaram o setor.

Junqueira, que é também banqueiro de fusões e aquisições, discursou dizendo que “estamos vendo nas pessoas pouca tolerância, pouca convergência e muita polarização. Hoje, tudo que não é espelho é monstro”.

E cutucou os presentes: “O melhor negócio no Brasil não pode ser vender a empresa e ir embora”.

Leia mais notas da coluna:
País parece ’embarcar na canoa errada de novo’, diz Ney Matogrosso
Vera Fischer e Barbara Paz em campanha na TV contra assédio