Bolsonaro assusta empresários ligados em sustentabilidade

Sonia Racy

13 Setembro 2018 | 00h55

CEOs de grandes empresas ocuparam cinco mesas do restaurante KAÁ, segunda à noite, em São Paulo, para discutir alternativas de desenvolvimento sustentável para o País – tema de agenda elaborada pelo Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável que está sendo entregue aos presidenciáveis.

Mas, nas rodas de conversa que se formaram, o assunto inevitável entrou em pauta: a facada em Bolsonaro e seu peso na corrida eleitoral. Só se ouvia a expressão “voto útil já no primeiro turno”.

A turma da sustentabilidade, reunida na terça em seminário do Cebds no Teatro Santander, não engole o candidato – que, aliás, já ameaçou, se eleito, retirar o Brasil do Acordo de Paris. O acordo tem como uma das principais metas reduzir a emissão de gases do efeito estufa para evitar o aquecimento global.

Leia mais notas da coluna:
Proposta de multa da ANTT assusta transportadoras e caminhoneiros
PSL ainda estuda se pede ao TSE para escalar Mourão para debates