Bolsonaro ‘acerta mais quando recua’, diz Ricupero

Bolsonaro ‘acerta mais quando recua’, diz Ricupero

Sonia Racy

11 de dezembro de 2019 | 00h40

ALBERTO FERNANDEZ (E) COM MOURÃO. FOTO: AGÊNCIA REUTERS

 

Depois de várias cotoveladas dos dois lados, como será, daqui por diante, a relação Brasil-Argentina? Ou, mais exatamente, entre Bolsonaro e Alberto Fernandez, que foi empossado ontem? “Como alguém já disse antes, nosso presidente acerta mais quando recua do que quando avança”, resume o embaixador Rubens Ricupero, um dos construtores, no governo Sarney, da aproximação entre os dois países que levou à criação do Mercosul.

“Levando em conta os recuos, minha conclusão é positiva”, diz ele. Mas ele acha mais  seguro “esperar uns seis meses” pra se ter certeza disso.

Casos reais de recuos
que deram certo

Em sua teoria dos recuos, o diplomata cita três casos concretos: as relações com a China, com os árabes e, agora, com a Argentina. No primeiro, Bolsonaro começou criticando os chineses, mas visitou Xi Jinping, recebeu-o aqui e agora afirma que a China “pertence ao futuro do Brasil”. Também pensou em mudar a Embaixada de Israel para Jerusalém mas desistiu e hoje está “de bem” com os países árabes.

Por fim, desfiou ameaças a Buenos Aires e acabou mandando ontem o vice Hamilton Mourão à posse de Fernandez. “Acho que ele não vai mudar”, prevê Ricupero, “mas pelo menos ele recua…”.

Mudança nos juros leva
gestoras a trocar o foco

Queda da taxa de juros no mundo e também no Brasil, o foco da gestoras vem mudando. A Mauá, capitaneada por Luiz Fernando Figueiredo, lançou ontem, na B3, o fundo Mauá Capital Recebíveis Imobiliários – que nasce com R$ 540 milhões e 5% de valorização no ato.

Em parceria com a XP.

Padilha adverte que PT está
atrasado na corrida para 2020

Alexandre Padilha tem dito que o PT “está atrasado” na escolha do candidato a prefeito em SP. À coluna, ele alega que “só quem propõe nomes desgastados pode ter como estratégia prorrogar a definição”. E lembra o samba: “Escola que confia no seu enredo e no mestre de bateria não fica fechada em barracão”.

Lula reúne prefeituráveis
em festa na escola do MST

Lula vai reunir Haddad, Padilha e Jilmar Tatto, três prefeituráveis do PT, além de políticos de esquerda e artistas, na confraternização que fará dia 22 em Guararema, na Escola Florestan Fernandes, do MST, com partida de futebol.
Mais de 3 mil pessoas já estão cadastradas no ‘mailing’ do evento.

Saída noturna do Iphan
levanta suspeitas na PM

Uma retirada de documentos e arquivos da sede do Iphan no Rio, anteontem, às 10 da noite, levantou suspeitas da PM, que abordou os funcionários que levavam as caixas.

Segundo a assessoria do Iphan, tudo não passou de um “mal entendido”: o que acontece, explica, é que o instituto está saindo do prédio para que ele seja restaurado. Assim, deixa provisoriamente a avenida Rio Branco e vai para o edifício Teleporto, na Cidade Nova.

Sem explicação

Anteontem, em trânsito entre Havana e NY, Karim Aïnouz ainda não sabia da decisão da Ancine de cancelar a exibição de seu longa mais recente, A Vida Invisível, para servidores da agência. Disse à coluna que “repudia” a atitude.

O produtor Rodrigo Teixeira, que já havia se preparado para falar no evento, só foi avisado oficialmente do cancelamento depois que a informação vazou.

Abrindo o leque

A TV Cultura está negociando com diversas plataformas de streaming a disponibilização do conteúdo de quatro canais: TV Cultura, TV Rá-Tim-Bum, Sala São Paulo e Jazz Sinfônica Brasil.

Em breve, também serão negociados os jornalísticos, como o Roda Viva, além de documentários, séries, musicais e infantis. A emissora também inaugura na sexta novo Núcleo de Acessibilidade e divulga um balanço de seis meses da nova gestão, com novidades para 2020.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: