Bola para frente

Bola para frente

Sonia Racy

17 de março de 2019 | 00h30

JOÃO GURGEL DO AMARAL. FOTO: SILVANA GARZARO

JOÃO GURGEL DO AMARAL. FOTO: SILVANA GARZARO

 

Recém-chegado à Portuguesa de Desportos, o jogador João Gurgel, 23, teve que batalhar muito pela carreira. No início, sem contar com o apoio do pai, o meio-campista chegou a matar três semanas de aula na escola para descer todos os dias de São Paulo a Santos e fazer testes na equipe Sub-15 do alvinegro. Afinal, seu pai o havia tirado do Sub-13 do São Paulo – equipe que só treinava, sem disputar campeonato – justamente para que ele focasse no colégio.

“Fui para o São Paulo FC duas semanas depois de perder a minha mãe. Ajudou a me distrair e me deu força”, conta. E ele fincou pé no projeto: esteve por dois anos no Sub-17 do Palmeiras antes de ir para Portugal, onde iniciou enfim uma carreira profissional, sem ajuda de nenhum empresário, e sofreu uma lesão. Apesar das seguidas dificuldades, ele avisa: “Nunca pensei em outra coisa que não esse caminho.”

Tendências: