“Blocos de rua são lúdicos”

“Blocos de rua são lúdicos”

Sonia Racy

14 de fevereiro de 2015 | 01h05

Foto: Marcos Arcoverde/Estadão

Porta-estandarte de um dos mais tradicionais blocos cariocas – o Cordão da Bola Preta, que sai hoje do centro do Rio –, Leandra Leal se considera uma foliã de primeiro time. “Adoro carnaval. É algo que vem de família mesmo”, contou a atriz em conversa com a coluna.

Uma das protagonistas da novela Império, na pele de Cristina, Leandra, que já desfilou em outros anos, não acredita que a avenida e o carnaval de rua sejam forças opostas. “O desfile é só a coroação de um trabalho feito durante meses, que acontece na comunidade, nos ensaios. Toda essa diversão culmina no grande espetáculo que aparece na avenida”, sentencia. “Já os blocos de rua são diferentes. É algo muito mais lúdico, sem o clima de competição das escolas. Coisas mágicas acontecem, as pessoas se encontram… enfim, eu amo”.

Indagada sobre a sujeira que o carnaval deixa nas ruas e a resistência de alguns moradores aos blocos, a atriz foi enfática ao ponderar que a falta de educação não é um problema da festa: “O carnaval é uma vocação do Rio. Nós, brasileiros, sabemos fazer festa”.

Mas ela admite que é preciso ter mais organização, infraestrutura e civilidade na questão do lixo. “Essa festa é um bem cultural e turístico. Temos de saber aproveitar isso, não dá para brigar com uma tradição dessas sob a alegação de que vai deixar sujeira”, concluiu.

Sobre os camarotes patrocinados por marcas, que atualmente dominam a Sapucaí, ela observa, cautelosa, que os convidados que não veem o desfile, preferindo curtir a balada, “estão perdendo um dos maiores espetáculos da Terra”. /MARILIA NEUSTEIN

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: