Bispos discutem o futuro primaz

Redação

28 de março de 2009 | 06h00

Completados seus 75 anos, o arcebispo-primaz do Brasil, d. Geraldo Majella, fez o que é de praxe: apresentou sua renúncia ao Vaticano, já que, por lei, é obrigado a se aposentar.

E cada vez que um primaz se aposenta, o assunto domina dez de cada dez conversas entre os bispos. Afinal, trata-se do cargo mais importante da Igreja no País.

Entre os cotados para o lugar estão d. Raymundo Damasceno, de Aparecida, e d. Walmor de Azevedo, de Belo Horizonte. Este último tem a seu favor o fato de que é baiano e já atuou durante anos em Salvador.

Leia outras notas no blog da coluna Direto da Fonte

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.