Big Mouth

Sonia Racy

31 de janeiro de 2011 | 23h07

André Esteves, do BTG, incorreu em um erro no início das conversas com Silvio Santos. Na tentativa de convencer o apresentador a vender seu Banco Panamericano deu, involuntariamente, munição extra a SS. Disse que as condições de juros e prazos acertados com Fundo Garantidor de Crédito, no empréstimo de R$ 2,5 bilhões, significavam gigante “economia” na comparação a um empréstimo normal, obtido a taxas de mercado. Chegou a falar em uma diferença de quase R$ 900 milhões.

SS gravou este número. E se apegou às palavras de Esteves para exigir mais e mais, tentando deixar seus outros negócios fora da transação.

Esteves se esqueceu que SS tem perfil completamente oposto ao seu. O banqueiro é absolutamente técnico, frio, objetivo e matemático. Já o apresentador foi mascate, é bom de conversa e sabe pouco, muito pouco, sobre a lógica do mercado financeiro.

Difícil convencê-lo de que os R$ 900 milhões simplesmente não… existem.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: