Bienal móvel

Sonia Racy

02 de junho de 2016 | 01h10

A Bienal de Arquitetura de SP deste ano vai romper com a tradição. Como explica seu diretor de conteúdo, Marcos Rosa, ela constará de cursos, seminários e outros eventos em vários lugares. A ideia é “tornar processos do urbanismo legíveis para um público maior”.

A bienal terminará, aí sim, com uma exposição dos resultados, no fim do segundo semestre.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: