Bebianno avisa que não sairá do governo atirando

Bebianno avisa que não sairá do governo atirando

Sonia Racy

15 de fevereiro de 2019 | 17h44

 

GUSTAVO BEBIANNO. FOTO: WILTON JUNIOR / ESTADÃO

A pelo menos um interlocutor no dia de hoje Gustavo Bebianno assegurou que, caso tenha  de sair do governo, não o fará atirando. “Eu não preciso disso, é o Jair que está atirando em si próprio.” O fato é que a permanência dele no governo ainda está longe de garantida, seja por vontade própria, seja por decisão do Planalto. O processo de desgaste deflagrado por Carlos Bolsonaro e impulsionado pelo presidente — no qual Bebianno foi chamado publicamente de mentiroso — não tem volta.

Na raiz da polêmica estão as denúncias de desvio de dinheiro do Fundo Partidário para candidaturas laranjas, que teriam ocorrido em Pernambuco na campanha do PSL — partido de Bolsonaro. Bebianno, que chegou ao Planalto como secretário de Governo, estaria envolvido na condição de presidente da legenda. Procurando Bolsonaro para conversar na volta deste ao Planalto, anteontem, ele acabou não sendo recebido — mas avisou que não sairia, por entender que esse gesto equivaleria a admitir um erro que ele jura não ter cometido.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: