Barco do Amor

Sonia Racy

07 de março de 2012 | 01h01

Na quarta edição do cruzeiro “É o Amor”, Zezé di Camargoe Luciano estavam por todos os cantos do navio: nas camisetas dos fãs, nas caixas de som das piscinas, do cassino e dos corredores e também nos telões espalhados pelos 15 conveses do MSC Orchestra.

Mas juntos, mesmo, só puderam ser vistos no palco, nas três noites de show. Luciano passou a maior parte do tempo em sua espaçosa cabine, com a mulher e os filhos. Saiu apenas uma tarde, dedicada a sessão de fotos na proa – para delírio dos fãs e desespero dos seguranças, treinados com técnicas israelenses.

Já Zezé estava livre, leve e solto. Animado, participou de rodas de viola durante as tardes e jantou, todas as noites, no restaurante, causando tumulto. Era fã demais. Depois dos shows, bateu cartão na boate até o raiar do dia, com direito a “cabaninha” no camarote VIP. Sua mulher, Zilu, ficou nos EUA, onde está morando.

No teatro lotado, a dupla agitou a plateia de todas as idades. E no camarim, recebia convidados e fãs. Monica Cartaxo, 76 anos, entregou a Zezé uma garrafa de Pêra-Manca, vinho preferido do cantor. E outra de licor Disaronno. Já uma gaúcha, que diz rezar todas as noites pela dupla, presenteou Zezé com uma cuia de chimarrão. E uma fã grávida levou seu carinho, descontrolou-se, chorou. Foi acalmada por Luciano com água e atenção.

Medo de navio? Luciano garante que não. E lembra que a primeira edição do “É o Amor” teve como cenário o Costa Concordia – que naufragou, em janeiro, na Itália. “Antes de subir ao palco, em 2009, alguém me deu o quepe do comandante Francesco Schettino, para usar durante o show. Pensei que era presente e joguei para a plateia. Depois (risos), você acredita que ele me cobrou 300 dólares? Tive de pegar emprestado da Zilu para pagar”.

O fato é que, depois de 20 anos de carreira, 21 discos lançados e 36 milhões de cópias vendidas, a dupla anunciou, aos navegantes satisfeitos, no fim do cruzeiro: ano que vem tem mais…/DÉBORA BERGAMASCO A repórter viajou a convite da produçãoda dupla.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: