Banco de arte

Sonia Racy

17 de junho de 2012 | 01h04

O Banco Central é dono de um… museu – o Museu de Valores, composto por obras de arte “herdadas” pela autoridade monetária durante os anos. E concluiu semana passada a reclassificação e a reavaliação do acervo iniciada em julho de 2011.

Como consequência da valorização do mercado de arte brasileiro, o número de obras de alto valor dobrou para 554. Outras 1.619 foram definidas como de ambientação e servirão para decorar os espaços de trabalho do BC.

E há ainda 178 peças que serão leiloadas ou doadas.

Banco de arte 2

Para conclusão do projeto, o Museu deve produzir um catálogo com todas as peças do acervo museológico. Também organizará exposição com 80 obras significativas.

No primeiro semestre de 2013.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.