Bancada do Novo na Alesp quer que verba de gabinete vá para educação e saúde

Bancada do Novo na Alesp quer que verba de gabinete vá para educação e saúde

Sonia Racy

23 de maio de 2019 | 17h12

RICARDO MELLÃO (NOVO). FOTO: AGÊNCIA ALESP

RICARDO MELLÃO (NOVO). FOTO: AGÊNCIA ALESP

Os quatro deputados do Novo na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) querem carimbar o dinheiro de verba de gabinete que estão economizando, de modo que ele saia do orçamento da Casa a partir do ano que vem e seja direcionado às áreas de educação, saúde e segurança.

O deputado Ricardo Mellão apresentou, este mês, emendas nesse sentido no projeto da LDO 2020, que está em discussão. Pelo texto do parlamentar, o governo de São Paulo poderá deduzir do orçamento da Alesp o dinheiro economizado por cada parlamentar.

Além de Mellão, deputados Daniel José, Heni Ozi Cukier e Sergio Victor abriram mão de auxílio-moradia, auxílio-saúde, carro oficial e de cerca metade dos funcionários a que teria direito, segundo as normas da Alesp.

A meta dos quatro deputados do Novo é economizar, todo mês, metade de sua verba de gabinete – cerca de R$ 141 mil. Se a emenda vingar, a bancada poderia redirecionar, ao longo de 2020, cerca de R$ 6,7 milhões do orçamento da Casa para investimentos em educação, saúde e segurança.

Em abril, todos os deputados da bancada do Novo superaram a meta de economia de R$ 141 mil, de acordo com a assessoria de imprensa do partido. Mellão e Ozi pouparam cerca de R$ 170 mil cada.

Leia mais notas da coluna:
+ Alckmin não vai participar do movimento ‘Direitos Já’; Serra marca reunião
+ Secretaria de Educação paulistana estuda bônus para professores e servidores

Tendências: