Balança…

Sonia Racy

27 de julho de 2013 | 01h08

Clima de guerra no Ibama em São Paulo. A sede do órgão, segundo os servidores, está (literalmente) caindo aos pedaços. Há problemas estruturais, bem como nas instalações elétrica e hidráulica, banheiros quebrados, vazamentos, infiltrações, elevadores parados e risco de incêndio, entre outros.

Cerca de 100 pessoas trabalham no instituto.

…mas…

Ante o quadro, funcionários pediram à Justiça a interdição do local. A juíza Maria Vitória Maziteli de Oliveira negou. Entretanto, deu prazo de 45 dias para o início das obras de recuperação estrutural de pilares e vigas do prédio.

…não cai

Murilo Rocha, superintendente do Ibama em SP, informa que a AGU deve recorrer da decisão. E que soube do risco de corrosão da estrutura por meio do laudo pericial. “Estou solicitando verbas a Brasília para resolver a questão.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.