Bagunça organizada

Bagunça organizada

Sonia Racy

09 Fevereiro 2013 | 01h07

WILTON JUNIOR/ESTADÃO

Reeleito, Eduardo Paes dá continuidade ao carnaval de rua do Rio, seu carro-chefe. “Está cada vez melhor, mais organizado. Trata-se da manifestação espontânea do carioca e ela está se dando de maneira bastante civilizada”, contou o prefeito à coluna.

Como o senhor definiria o carnaval do Rio?

É o mais importante do Brasil, o mais conhecido no mundo. Uma alegria só, hora de esquecer os problemas. Posso dizer que tudo está pronto, já começamos há duas semanas, com todas as festas nas ruas. A segurança, o trânsito e a limpeza têm se mantido até acima das expectativas. Os prestadores de serviços estão de parabéns. Se eu tivesse de definir, em duas palavras, o que é o nosso carnaval, diria que é uma bagunça organizada.

O carnaval tem patrocínio?

Todo o nosso carnaval de rua está sendo bancado pela Antarctica. Já os desfiles da Sapucaí recebem nosso apoio direto – distribuímos R$ 1 milhão para cada escola de samba.

Quem o senhor convidou para assistir aos desfiles no camarote da prefeitura?

Olha, o carnaval carioca é cheio de gente de peso, políticos, empresários, celebridades. No camarote da prefeitura só vão os amigos.

Acompanha o carnaval em outras cidades?

O desfile do Grupo de Acesso, ontem, foi transmitido pela Globo. Isso nos impediu de ver o carnaval em Salvador.

ACM Neto nos disse que o carnaval da Bahia é hoje maior que o do Rio. É verdade?

Vou perguntar a ele amanhã, quando estiver acompanhando nosso desfile aqui. (risos)