Back to the real

Sonia Racy

04 Outubro 2015 | 01h15

A fórmula montada por Joaquim Levy para atrair o retorno de capital ao País pressupõe pagamento de 17,5 % como multa mais 17,5% de imposto para legalizar os recursos.

Ao pagar a multa, o dono do dinheiro, ainda que legal, não confessa um crime? “Consultamos vários criminalistas e concordamos em que este é o melhor modo de tirar da frente esse tipo de problema para quem está trazendo o dinheiro”, explicou Levy, semana passada, convicto que a medida será um sucesso.

Real 2

A primeira presidente do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf)– que por lá ficou muitos anos –, Adrienne Senna Jobim, entretanto, acha difícil alguém trazer recursos dentro desses moldes jurídicos.

Além disso, ela acredita também que a porcentagem total a ser paga, de 35%, tampouco é atrativa. O México, quando adotou a norma, cobrou 10%. E a Itália, 5%, 6% e 7% em três anos seguidos.