Back to the future

Back to the future

Sonia Racy

29 de agosto de 2012 | 01h01

O mundo passa por uma crise de questionamento ao capitalismo? “Espero que não”, respondeu Bill Clinton a Ilan Goldfajn, responsável por mediar o encontro, ontem, entre o ex-presidente americano, FHC e Tony Blair (foto acima), em São Paulo.

Os mosqueteiros do liberalismo defenderam, com unhas e dentes, o sistema (incluindo todas as bolhas financeiras que estouraram) que permitiu a milhões de pessoas sair da pobreza nas últimas décadas. “Hoje, o desafio é equilibrar o que é responsabilidade do setor privado e o que pertence ao governo”, ressaltou FHC, criticando o que batizou de nova forma de capitalismo adaptado pelos governos do PT: o capitalismo regulado. “Percebemos, agora, que isso está mudando, a realidade obrigou o governo Dilma a se abrir ao setor privado. Mas o DNA faz com que ela atue com medo”, frisou o tucano, emendando: “Tem de fazer direito, ter operação clara, que abra possibilidades a todos, não uma regulação arbitrária”.

Clinton e Blair evitaram entrar em temas brasileiros, mas fizeram questão de elogiar, fortemente, o País. Dissertaram também sobre a China e o Irã. “Democracia não é a maneira de votar, mas, sim, o modo de pensar”, declarou Blair. A respeito do Irã, Clinton brincou, dizendo que “sua mulher tem um emprego e…”.

O cachê dos três? O Itaú BBA não revela. Mas, segundo uma fonte, foi “bem mais de US$ 200 mil” para cada um dos ex-presidentes, que falaram para uma plateia repleta de empresários de peso. “Um evento à altura dos nossos clientes”, resumiu Candido Bracher, do BBA.

Tendências: