Auto mecenas

Sonia Racy

13 de setembro de 2011 | 23h09

A falta de profissionalização do setor fez a Associação Brasileira de Arte Contemporânea se mobilizar. Trinta galerias de seis Estados se uniram, via ABACT, e conseguiram apoio da Apex, agência federal de incentivo à exportação. Agora, vão mapear o segmento. A ideia é catalogar obras e galerias no País; organizar informações para consulta de logística de exportação e importação e dar visibilidade aos artistas no mercado.

Também pretende-se aumentar o diálogo com o MinC. E pressionar por legislação favorável ao mercado de arte – que hoje sofre com altos impostos para exportar e com a burocracia do processo. Exemplo? São necessárias 16 assinaturas para mandar uma única obra para fora do Brasil.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: