Ativista pelo parto normal faz contraponto à tuíte de Janaína Paschoal

Sonia Racy

14 de agosto de 2018 | 00h30

JANAÍNA PASCHOAL

JANAÍNA PASCHOAL. FOTO: ANDRE DUSEK / ESTADÃO

Os tuítes de Janaína Paschoal, dizendo que a mortalidade materna subiu também por causa de uma “obstinação do parto normal” deixou irritadas ativistas pelo parto humanizado.

Ana Lucia Keneucke, da Rehuna, afirmou à coluna que muitas mortes maternais se devem à violência obstétrica e a profissionais não capacitados para fazer parto normal e médicos que não tiveram essa formação “parto normal não é modismo”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: