Assembleia pode investigar omissão do Estado sobre pílula anticâncer

Sonia Racy

20 Outubro 2015 | 18h37

Tem deputado estadual querendo saber o porquê de o Estado não ter feito estudos suficientes para verificar a liberação do uso da fosfoetanolamina sintética, substância desenvolvida por um professor e pesquisador aposentado da USP que supostamente combate o câncer.

Rafael Silva, do PDT, vai recolher, amanhã, assinaturas para instaurar uma CPI que apure os motivos do silêncio do governo estadual sobre a questão. A pílula, distribuída há mais de dez anos, não tem registro na Anvisa, mas chegou a ser liberada recentemente pelo STF em um caso específico no Rio.

Além de tentar convencer os deputados da importância da abertura da apuração, o parlamentar vai pedir à Casa que a CPI passe à frente de outros 12 pedidos, referentes a outros temas, que aguardam na fila.