‘As mulheres podem se transformar independente da idade’, diz Silvia Poppovic

‘As mulheres podem se transformar independente da idade’, diz Silvia Poppovic

Sonia Racy

24 de maio de 2019 | 23h55

Foto: Kelly Fuzaro/Band

Silvia Poppovic está em sua melhor forma. Aos 64 anos – há oito afastada da TV aberta – a jornalista estreia, segunda-feira, o programa matinal Aqui na Band, na TV Bandeirantes. “Estarei de segunda a sexta ao vivo ao lado de Luís Ernesto Lacombe. O programa tem duas horas de duração e vai abordar diversos temas.” Entre os colaboradores está Veruska, viúva de Ricardo Boechat, que apresentará um quadro sobre superação.

Há um ano e meio, Silvia fez uma cirurgia bariátrica visando ter mais saúde. “Resolvi me preparar para o terceiro tempo da vida. Emagreci 47 quilos e brinco que o programa é a cereja do bolo de toda essa transformação.”

Como é o programa?
O programa é voltado ao público feminino, de mais de 35 anos, classe C, que é quem assiste TV aberta. É um público enorme, que está em casa pela manhã e ainda usa a telona.

Como está sendo essa volta à TV aberta depois de 8 anos?
O Aqui na Band é uma retomada da minha carreira na TV aberta e na Band, que é uma emissora que sempre me acolheu, tenho memórias maravilhosas dos programas que apresentei por lá. Fiz uma cirurgia bariátrica há um ano e meio onde perdi 47 quilos, falo que o programa é a cereja do bolo de toda essa transformação.

Como foi esse processo de emagrecimento. Muitas pessoas relatam que o mais difícil é o lado psicológico?
Olha, não tive muitas questões psicológicas, mas passei por inúmeras adaptações. Como menos, tive síndrome de dumping, as adaptações existem até hoje. Mas o resultado é tão satisfatório, me sinto leve, com mobilidade e escolho a roupa que quero vestir e não a roupa que me escolhe. Realmente queria ter mais saúde para encarar esse meu último terço de vida, minha filha Ana acabou de fazer 18 anos, quero ver meus netos e estar com disposição para meus próximos 30 anos.

Está renovada.
Essa questão da longevidade tem chamado muito minha atenção, vamos viver cada vez mais e melhor e precisamos estar preparados para isso e não apenas sobreviver. Também estou muito interessada nessa questão da moda “ageless” (sem idade). Hoje as mulheres de 60 anos podem vestir o que quiserem, sabendo adequar ao seu corpo, é claro. Emagrecer me trouxe um novo mundo de novos prazeres.

Vai virar referência para as mulheres da sua idade. Como pretende abordar esse tema?
As mulheres que acompanham minha carreira desde o início estão comentando esse meu momento nas redes sociais, me dando apoio, dizendo o quanto estou elegante. Elas curtem porque veem que podem se transformar independente da idade. E podem mesmo./SOFIA PATSCH

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.