Arteiro

Redação

30 de dezembro de 2008 | 06h00

A crise financeira acaba de esfarelar mais um sólido pilar do mundo das artes: James Wood, o respeitável chefão das finanças do J. Paul Getty Trust.

Embora gerindo uma associação sem fins lucrativos, ajudada por milionários dos EUA inteiros, Wood admitiu há dias, ao conselho fiscal, que US$ 3,71 bilhões foram aplicados em “investimentos alternativos”.

Resultado: o grupo tem hoje 30% menos que os US$ 6,4 bilhões do final de 2007.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.