Arminio quer ajudar Temer, sem ser ministro

Sonia Racy

19 de abril de 2016 | 09h55

Armínio Fraga não será ministro da Fazenda de um eventual governo Michel Temer. Depois de ter dado todos os sinais de que não aceitaria convite para o cargo, o ex-presidente do BC jantou, nesta segunda à noite, em São Paulo, com o vice-presidente e com o presidente do PSDB, Aécio Neves. 

Na conversa, Armínio colocou-se à disposição para colaborar com um eventual governo Temer, mas sem participação direta em seu ministério.

Os dois trocaram ideias sobre o preocupante cenário da economia e sobre algumas abordagens para os problemas mais urgentes. Não chegou a haver convite, dado que a posição do ex-presidente do BC a respeito já havia sido tornada pública.

Mas a intenção de Temer era, sim, de ter Fraga em sua equipe. Tanto assim que o vice-presidente até instruiu um empresário paulista a jogar golfe com ele, sábado, no Rio, para tentar atraí-lo para a função.

Nesta terça, Armínio já está de volta ao seu escritório, no Rio. No dia 17 de maio,ele recebe, em Nova York, o prêmio Homem do Ano da Câmara de Comércio Brasil-EUA.