Após uma década, Supremo vai retomar caso de distribuidores de energia em SP

Sonia Racy

12 de maio de 2019 | 01h00

ALEXANDRE DE MORAES

ALEXANDRE DE MORAES. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Energia em questão

Depois de uma década tramitando no STF, a ADI 4281 está sendo levada à pauta por Alexandre de Moraes – que tinha pedido vista do processo. É uma briga de bom tamanho. Nela, os comercializadores de energia elétrica em SP questionam decreto estadual que lhes atribui a responsabilidade de pagar o ICMS pela venda de energia a grandes operadores no Estado – como indústrias, shoppings etc.

O “x” do problema: às vezes o fornecedor da energia é de outro Estado, e o governo paulista só pode cobrar… de quem leva essa energia até “a porta de casa” dos grandes consumidores. Mas, para quem só distribui, essa cobrança é ilegal.

Ellen Gracie e Cármen Lúcia já votaram… contra o governo paulista.

Lupa na festa

Alê Youssef vai se reunir depois de amanhã com os órgãos envolvidos na Virada Cultural – como PM, Guarda Civil, CET, SPTrans, Metrô, CPTM, Via Quatro, Ilume e Secretaria de Saúde.

A Secretaria da Cultura paulistana quer acompanhar de perto a organização e a segurança do festival, que deve receber 5 milhões de pessoas nos dias 18 e 19 de maio.

Toque nacional

Para suas apresentações dos dias 18 e 19, em São Paulo, o Balé Imperial da Rússia selecionou crianças brasileiras que entrarão como figurantes na coreografia de O Quebra Nozes. The Best of Tchaikovsky acontece no Teatro Prevent Senior, com direção de Gediminas Taranda, que foi estrela do Balé Bolshoi de 1980 a 1993.

Leia mais notas da coluna:
+ Empresas retiram patrocínio de prêmio e equipe de Bolsonaro vê agressão
+ MP da reforma administrativa transfere funções de Guedes a Marcos Pontes

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.