Após crescimento de banco com DNA de suspeitos de crimes sexuais, número de ‘matchs’ dispara

Após crescimento de banco com DNA de suspeitos de crimes sexuais, número de ‘matchs’ dispara

Sonia Racy

24 de julho de 2021 | 00h40

Foto: Reprodução

O MP paulista recebeu, nos primeiros sete meses de 2021, uma montanha de laudos (237) indicando “match” – ou seja, as informações conferem – entre material genético colhido de vítimas de crimes sexuais e amostras de eventuais infratores. No ano passado inteiro, foram pouco mais de 50 “matchs”.

O aumento de laudos – e de crimes sexuais esclarecidos – foi possibilitado pelo maior “estoque” de material de DNA recolhido de suspeitos. Criado em 2019, o Banco de Perfil Genético do Estado tem ajudado muito.

 Na linha Joice 

Gabriela Manssur está trabalhando para traçar o perfil da violência doméstica entre autoridades. A promotora do MP paulista distribuiu perguntas entre procuradoras, promotoras e servidoras para montar uma pesquisa. Já recebeu 1200 respostas.

O levantamento é da Comissão das Mulheres da Associação Nacional de Membros do Ministério Público, do qual Manssur é coordenadora.

 BBB Vacina 

O documentário Voluntário **1864 – Quem São Os Anônimos da Vacina? – que mostra a histórias de brasileiros que se inscreveram no processo de testes de imunizantes – tem estreia marcada para o dia primeiro de agosto.

Dirigido por Sandra Kogut, o filme acompanha dez personagens da vida real, desde o momento do cadastramento até ficarem sabendo se receberam placebo ou medicamento. Entra no ar na GloboNews e no Globoplay.

Coragem 

Em plena pandemia, Jucelino Pereira está abrindo no centro histórico de São Paulo um novo Piselli: o Boa Vista, a convite de Alfredo Cotait, presidente da Associação Comercial de São Paulo.

Não contente, acaba de abrir o Piselli Brasília, no Iguatemi. “Acho que o pior já passou”, comemora.

O escolhido 

Nicolas Vlavianos criou escultura para o Grande Prêmio São Paulo de Fórmula 1 deste ano. O artista, de 92 anos, trabalhou no Estado ao longo das últimas seis décadas.

 Remédio verde 

 O InCor quer realizar, em parceria com a Verdemed Farmacêutica, o primeiro estudo brasileiro sobre os efeitos do canabidiol no tratamento da Síndrome Pós-Covid, que causa sequelas em pacientes que foram diagnosticados com o coronavírus

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.