Entrevistas na TV ‘compensam’ corte de verbas na publicidade de Temer

Sonia Racy

28 Janeiro 2018 | 01h05

MICHEL TEMER

MICHEL TEMER. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

 

Texto alterado às 12h20, para correção de informação

Não foi por acaso que Temer decidiu aparecer em seguidas entrevistas na TV defendendo seu governo. Planejada lá atrás, essa foi a forma encontrada no Planalto para compensar um duro corte – de R$ 210 milhões – nas suas verbas de publicidade no orçamento federal.

A redução desses recursos – em meio a tantos outros – foi sugerida em 2017 pelo relator do texto no Congresso, Cacá Leão e, no fim da linha, endossada por Dyogo de Oliveira, ministro do Planejamento.

Com OK do líder do governo no Senado, André Moura.

Presidente muda horários
para cuidar da saúde

A saúde do presidente lhe tem exigido providências discretas, mas marcantes. Uma delas: ele passou a ir almoçar em casa praticamente todos os dias.

E no fim de semana, de volta da viagem a Davos, Temer deixou o Planalto – coisa normalmente impensável numa sexta-feira – antes das 19 horas.

Leia mais notas da coluna:

STF não pode derrubar decisão de juiz contra Cristiane Brasil

Armas são apreendidas na entrada do TRT