Aos seis anos, neta de João Gilberto cria música de abertura de série sobre a bossa nova

Aos seis anos, neta de João Gilberto cria música de abertura de série sobre a bossa nova

Marcela Paes

02 de abril de 2022 | 03h00

Sofia Gilberto. Foto: Do som à arte

Do alto de seus seis anos, Sofia Gilberto tira a inspiração para escrever suas canções de temas   populares  com as crianças de sua idade: a coleção de bichinhos, os filmes que vê, os amiguinhos. Tudo seria muito comum se a menina não fosse neta de um dos maiores músicos da história do Brasil, o baiano João Gilberto.  

 “Desde bem pequena, com uns dois anos, eu já brincava de criar musiquinhas. Nasci em um estúdio de música em New Jersey (EUA). Os meus brinquedos sempre foram os instrumentos”, conta Sofia. 

Precoce, a filha de João Marcelo Gilberto é a responsável pela música de abertura de Do Som À Arte. A série promete resgatar o legado e a história da bossa nova e estreia em 14 de abril, no canal Music Box Brazil. Depoimentos de artistas como Roberto Menescal, Victor Biglione, Wanda Sá, Jaques e Paula Morelenbaum, Marcos Valle e Juliana Caymmi, além de falas de pesquisadores, estão no roteiro de entrevistas feitas pelo apresentador Bernardo Lobo e pelo diretor Ulrich Malohlava. 

 Do avô, que morreu em 2019, quando Sofia tinha cerca de 3 anos, ela se lembra de “ficar deitada na cama com ele tocando violão e cantando, também contando as histórias sobre quando ele era criança”. Outra lembrança é a de João Gilberto dizendo que não gostava quando ela ia embora e da “música dos dois”, Dorme Passarinho.

“Eu fiz uma música agora para o meu vovô chamada Aurora do Leblon”, conta ela, que também é fã das canções cantadas pelo vovó Astrud Gilberto, casada com João Gilberto de 1959 a 1964. “Minha gatinha Dindi tem a música mais linda com seu nome feita pelo Tom Jobim, por isso o nome dela é Dindi. Adoro a versão cantada em inglês pela minha avó Astrud”, conta. 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.