ANP detecta ‘epidemia’ de gasolina adulterada

Sonia Racy

18 Julho 2017 | 11h02

Fiscais da Agência Nacional do Petróleo começam a focar, com mais atenção, o que alguns chamam de “epidemia dos combustíveis” — o aumento de autuações nos postos, por venda de gasolina ou etanol adulterados. Em São Paulo, 36% das fiscalizações, no primeiro semestre, geraram algum tipo de infração, contra 30% no ano passado. Foram 48 autuações, média de oito por mês. No Rio foi ainda pior: a ANP fez 220 autuações de janeiro a junho, além de interditar 11 postos. Segundo o site Petronotícias, ligado às atividades de energia, a prática envolve postos de todas as bandeiras.

Para enfrentar o problema, o Inmetro está desenvolvendo um equipamento inviolável para as bombas, com chip criptografado — mas instalá-los em todas as bombas do País seria uma tarefa para… muitos anos.