André Sturm cancela unilateralmente contrato com o Odeon

Sonia Racy

12 Dezembro 2018 | 16h13

André Sturm, no seu gabinete de trabalho. FOTO TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO

Foi rompido unilateralmente contrato assinado entre Secretaria de Municipal de Cultura e o Instituto Odeon. O secretario André Sturm optou por usar cláusula que lhe dá esse direito. Não esperou a conclusão de processo aberto por ele mesmo questionando o Instituto escolhido por licitação para gerir o Theatro Municipal.

A secretaria havia enviado notificação em 14 de novembro pedindo explicações sobre supostas irregularidades cometidas pelo instituto e pretendia, com base nisso, rescindir o contrato. O Odeon respondeu em 3 de dezembro aos questionamentos e aguardava manifestação da secretaria. Que nada respondeu.

O contrato, de mais de R$ 560 milhões, teria duração até 2021. O instituto deve ficar mais 60 dias à frente do Municipal, até que uma nova instituição seja escolhida.

Sturm confirma o rompimento. Diz que “as explicações dadas pelo Odeon estão sendo analisadas pelo Ministério Público” e que não pode esperar o fim do processo para tomar uma atitude. “Ele tem travado a gestão, que está em vias de ficar paralisada. O Municipal é maior do que isso”, justifica.