Itamaraty vive um fim de governo agitado

Sonia Racy

08 Dezembro 2018 | 01h00

ALOYSIO NUNES

ALOYSIO NUNES. FOTO: ANDRE DUSEK/ESTADÃO

Comparado aos demais ministérios, o Itamaraty vive um fim de governo agitado. Aloysio Nunes volta a Montevidéu semana que vem para mais discussões no Mercosul e em seguida vai a conferência no Marrocos. Equipes do MRE participam de reunião sobre clima na Polônia, com a equipe do Meio Ambiente.

De quebra, a chancelaria já cuida, em Brasília, da chegada de dezenas de representantes estrangeiros para a posse de Bolsonaro.

Por outro lado

Na outra ponta, com poucas exceções, a principal atividade dos ministérios é ajudar… a transição. Marcos Jorge, da Indústria, saiu por uma semana para uma cirurgia e deve ir também ao encontro do Mercosul. Blairo Maggi, na Agricultura, não divulgou agendas.

Completando o cenário, há agendas com prazo de validade quase nulo. Édson Duarte, do Meio Ambiente, foi ontem para a Polônia defender no COP 24 as posições (atuais) do Brasil no combate ao aquecimento global, que o futuro governo não endossa. Carlos Marun, da SeGov, prepara visita a uma força-tarefa da Marinha… no Líbano. E duas funcionárias dos Direitos Humanos viajarão à Europa para “visitas técnicas” a instituições dessa área.

Leia mais notas da coluna:
Se não entrar pedra no caminho, Meirelles será secretário da Fazenda de Doria
Indígenas pedem que Funai fique no Ministério da Justiça