Alô embaixada!

Sonia Racy

27 de janeiro de 2011 | 23h12

Vik Muniz se imbuiu de missão espinhosa: ajudar Sebastião Carlos dos Santos, principal personagem do documentário Lixo Extraordinário indicado para o Oscar, a tirar visto americano. “Quando voamos em setembro do ano passado para o Canadá, participar do Festival de Toronto, tentamos levar Tião e não conseguimos”, lamentou ontem à coluna o artista que teve seu trabalho enfocado no longa.

Como não há voo direto Brasil-Canadá era necessário visto para escala nos EUA. A papelada canadense o catador de lixo conseguiu.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.