Alívio

Sonia Racy

06 de agosto de 2010 | 10h15

Depois da guerra declarada entre os músicos da Orquestra Sinfônica Municipal contra o maestro Rodrigo de Carvalho, parte dos profissionais temeu represália: a não prorrogação de seus contratos temporários, reeditados a cada três meses.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: