Alívio imediato

Sonia Racy

06 de fevereiro de 2012 | 23h07

Decisão do STF de manter os poderes do CNJ foi um bálsamo para o Conselho Nacional do MP – órgão que investiga a ação de promotores.

Temia-se efeito cascata de esvaziamentos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: