Aliança pelo Brasil aproveitou manifestações do 7 de setembro para colher assinaturas

Aliança pelo Brasil aproveitou manifestações do 7 de setembro para colher assinaturas

Sonia Racy

10 de setembro de 2021 | 00h55

Cápsulas de bala formam a logotipo do novo partido Aliança pelo Brasil. Foto: Gabriela Biló/Estadão

O Aliança pelo Brasil aproveitou a concentração de conservadores nas manifestações de 7 de setembro para colher assinaturas em SP, DF e no Paraná.

Segundo Luís Felipe Belmonte, vice-presidente do partido, elas chegaram perto da meta das 492 mil fichas necessárias para criação da legenda.

Mutirão 

Belmonte montou um grupo de advogados voluntários para organizar os lotes e submeter 200 mil assinaturas ainda em setembro à aprovação da justiça eleitoral. Ele conta que quase 130 mil já foram analisadas e 160 mil estão no sistema para serem conferidas pelo TSE.

Trabalham contra o relógio, já que 31 de dezembro é a data limite.

Mutirão 3

Apesar de ter sido criado inicialmente para abrigar Bolsonaro, o vice-presidente do partido afirma que essa não é a razão de existir do Aliança.

Back to the
future

Pessoas próximas a Alexandre Youssef dizem ser provável a reabertura do Studio SP – casa de shows no Baixo Augusta. O local fechou em 2013 e o ex-secretário municipal da cultura era um dos sócios. Procurado pela coluna, Youssef não disse nem que sim nem que não…

Uníssono

Marco Vinholi comemora. O PSDB estadual, aprovou ontem, por unanimidade, apoio a Doria nas prévias para a escolha do candidato a presidente.

US-BR

Pela primeira vez no Brasil, o artista americano Shepard Fairey, entrou na 2ª edição do NaLata Festival Internacional de Arte Urbana – a partir de 20 de setembro, no Largo da Batata e nos bairros de Pinheiros e Vila Madalena.

O grafiteiro conhecido como Obey, é autor do famoso cartaz estampando o rosto de Barack Obama acompanhado da palavra “Hope”. A edição conta com 11 artistas nacionais e internacionais.

De peso

Em outubro, o Sesc 24 de Maio será ocupado por trabalhos de artistas contemporâneas inspiradas pela cultura afro-brasileira de Raquel Trindade, a Rainha Kambinda.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.