Alê Youssef lança o programa Capital da Cultura

Sonia Racy

28 de abril de 2019 | 01h00

ALE YOUSSEF. FOTO: DENISE ANDRADE/ESTADÃO

ALE YOUSSEF. FOTO: DENISE ANDRADE/ESTADÃO

 

Vem aí o SP Capital da Cultura – programa de dez pontos para o biênio 2019-20. Segundo Ale Youssef, trata-se de “um posicionamento da cidade ante os ataques que a cultura vem sofrendo”.

A Pauliceia, diz ele, tem “vocação de capital cultural”.

Fórum de Cidades

Tanto assim que, ao participar da Cúpula de Cultura da União das Cidades e Governo Locais – uma espécie de ONU das cidades –, SP foi convidada para integrar o WCCF, World Cities Culture Forum.

A instituição reúne capitais mundiais da cultura para troca de experiências em políticas públicas.

Patrimônio

Ativistas se mobilizam contra o decreto de Doria que altera a composição do Condephaat. Para os organizadores do manifesto online “Contra o desmonte do Condephaat!”, a diminuição dos assentos de universidades no colegiado representa o fim da independência do órgão.

Patrimônio 2

Também foi criticada a manutenção e criação de novos assentos para instituições “sem tradição na defesa do patrimônio” e para indicados pelo governo.

Apelido

Políticos experientes de Brasília começaram a chamar Olavo de Carvalho de Rasputin, em referência ao monge e charlatão russo que tinha grande influência sobre o czar Nicolau II. Levando ao fim do czarismo e aos assassinatos do monarca e de sua família.

Leia mais notas da coluna:
+ Após duas décadas, Milu Villela deixa o MAM
+ Mercado ajusta tom em relação à reforma da Previdência

 

Tendências: