Alckmin tentou, sem sucesso, tempo de TV regionalizado

Sonia Racy

30 de agosto de 2018 | 01h00

GERALDO ALCKMIN

GERALDO ALCKMIN. FOTO: GABRIELA BILO/ESTADÃO

A coligação de Alckmin tentou – mas não conseguiu – que o TSE permitisse propaganda presidencial regionalizada ou segmentada no tempo de TV. Com isso, os eleitores vão assistir às mesmas peças, independentemente da região ou do tipo de público.

A decisão está no plano de mídia do horário eleitoral que o TSE aprovou na terça, tarde da noite, e publicou ontem. E, segundo fontes, afeta candidatos com mais tempo de TV.

Já as coligações de Meirelles, Marina, Ciro, Boulos e Alvaro Dias, mais o partido Novo, de Amoêdo, pediram que as inserções – que têm 30 segundos – fossem divididas em módulos de 15 segundos. Para quê? “Maximizar a exposição das candidaturas”.

Também levaram não.

Leia mais notas da coluna:

Loja vende online camisetas de Bolsonaro e contra Lula

Relatório detalha 101 operações na intervenção no Rio

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: