Águas profundas

Direto da Fonte

11 de fevereiro de 2015 | 01h10

Cresce certa revolta entre os acionistas da Sete Brasil ante as notícias de que o BNDES vai socorrer a empresa. “É balela. Trata-se de obrigação. O financiamento em questão, a exemplo dos recursos do Fundo da Marinha Mercante, está registrado em contrato assinado na criação da SB”, explica uma fonte da construtora de sondas.

“Foi o único jeito de o negócio sair, ante a escassez de recursos de longo prazo no Brasil.”

Águas 2

Também faz parte do acordo de acionistas que a Petrobrás (dona de 9% da SB) tem direito a escolher toda a diretoria até a entrega da primeira plataforma de petróleo – o que ainda não ocorreu. A estatal, portanto, “manda, é a única cliente e controla a fabricação bem como o conteúdo nacional”.

Águas 3

Segundo a mesma fonte, indicados da Petrobrás “saquearam” a SB ao receber propina. Isto posto, em teleconferência na última sexta-feira, acionistas sinalizaram que vão entrar na Justiça contra o ex-Petrobrás e ex-SB Pedro Barusco – que fez delação premiada na Lava Jato – e cia.

Águas 4

O prédio da Prefeitura paulistana, no Viaduto do Chá, não vai ganhar bônus da Sabesp pela economia de água – e pode até receber multa.

Em janeiro, foram gastos 739 metros cúbicos de água, contra 609 em dezembro.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.