Agente autônomo, ex-sócio do BTG volta para casa

Sonia Racy

18 de julho de 2020 | 00h52

A associação do BTG, a EQI – maior agente autônomo da XP, com cerca de R$ 8 bilhões sob administração – mostra que o bom filho à casa torna. Carlos Fonseca, idealizador e acionista do ativo, é… ex- BTG.

Escolhido por André Esteves para tocar o private equity do banco – acionista da Sete Brasil, da BrPharma, da Lider, entre outras – volta com missão de, em seis meses, transformar a EQI numa corretora.

A intenção de Esteves é a de se tornar sócio – a princípio minoritário, com 49% – de vários agentes autônomos.

Cobertor…

Cristiano Sampaio, do Conselho Nacional do Secretários de Segurança Pública, aguarda aumento do porcentual destinado aos estados via Fundo Nacional Antidrogas – hoje ele é de até 40%. Para tanto, precisam de mudança na legislação penal. “Foi a promessa feita”.

… curto

O presidente do Consesp já esteve em reuniões com André Mendonça, uma delas com Bolsonaro. E elogia a maior abertura “agora” ao diálogo, sugerindo: se o presidente decidir dividir a pasta, espera que ele escolha alguém “com capacidade de conversa”.

Nos bastidores, é dado como certo que o ‘ouro’ (a PF e a PRF) fica onde está – na Justiça.

Bate-volta  

Rodrigo Maia se reuniu, a sós, no Recife, com Luciano Bivar, presidente do PSL. A assessoria de Maia informa que o deputado viajou para tratar de assuntos da Câmara, onde Bivar é vice-presidente.

Fã virtual  

Erick Jacquin começou a fazer vídeos personalizados para fãs. O chef e apresentador cobra R$ 270 pela mensagem – que tem conteúdo direcionado pelo cliente. A iniciativa, da TamoVip, também reúne outros nomes, como o dos jogadores Cicinho e Alex Silva, e o do judoca Tiago Camilo. Além de comediantes e influenciadores.

Para os íntimos

O Cabaret Cecília começou a organizar jantares dentro de seu espaço, para até 10 pessoas. É possível incluir shows e apresentações de artistas da casa. A ideia é conseguir manter o local, que corre o risco de fechar, até a reabertura pós-pandemia…

Há esperança

A Fundação Amazonas Sustentável, por meio da Aliança (organização apoiada por 86 instituições), já conseguiu R$ 16 milhões para ajudar indígenas e populações ribeirinhas – 103 mil pessoas. “Chegamos a 588 comunidades e aldeias”, diz Virgilio Viana.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.