Aécio Neves não deve aparecer nas prévias do PSDB e pode contestar possível vitória de Doria

Sonia Racy

19 de novembro de 2021 | 03h30

AÉCIO NEVES

AÉCIO NEVES. FOTO: UESLEI MARCELINO/REUTERS

Entre os 700 mandatários que pediram passagens ao PSDB para voar até Brasília para a votação das prévias por urna eletrônica, domingo, não está Aécio Neves. A informação  de que o deputado não deve aparecer na convenção e pode contestar o processo se Doria vencer circulava entre os candidatos ontem. Alckmin, de saída do partido, também não deve aparecer e votará por aplicativo.

Além disso, uma parte da cerimônia será dedicada a homenagear tucanos que partiram cedo. Tomás Covas, filho de Bruno Covas, e Bárbara, filha de Firmino Filho, ex-prefeito de Teresina, morto em abril, aos 57 anos, receberão uma placa.

Até ontem a cúpula do PSDB Nacional estava lidando com pedidos de mudança nas normas das prévias. Marcus Pestana, coordenador do processo, encaminhou ao presidente do partido, Bruno Araújo, pleito para ampliação do horário de votação por aplicativo, requisitando duas horas extras.

Prefeitos e lideranças regionais reclamaram que o tutorial do aplicativo estava um pouco mais complexo do que imaginavam. O sistema, segundo organizadores, está assim para a proteção contra um possível ataque de hackers.

 Alalaô

No esquenta para o esperado carnaval de 2002, o Salgueiro foi autorizado a captar R$ 3,5 milhões via Rouanet para produzir seu desfile. Como contrapartida, afirmam que todas as fantasias confeccionadas com o incentivo serão distribuídas gratuitamente aos que desfilam pela agremiação.

Moda real imita moda virtual

Apostando no metaverso – algo parecido com uma realidade digital, de games online, pagos com criptomoedas, – Paulo Borges, do SPFW, e Sergio Rial, do Santander, (foto acima) – surpreenderam a plateia, anteontem, na abertura do evento de moda no Pavilhão da Cultura Brasileira.

Hoje, internautas do metaverso operam em “mundos fechados”, não interligados. Mas os que acreditam no potencial deste conceito, apostam em mercado de US$ 800 bilhões até 2024, segundo pesquisa da Bloomberg Intelligence. A expectativa é que os usuários se movimentem entre esses diferentes mundos digitais, com uma única identidade virtual, na forma de um avatar. E com o dinheiro do mundo real também valendo no novo mundo virtual.

Projeções à parte, o desfile (fotos na página) foi montado para que a passarela refletisse uma releitura física de personagens dos games da Nvidia – empresa do ramo. E elas serão muitas. Mark Zuckerberg, por exemplo, está atrás. “Em lugar de ver o conteúdo, você está dentro dele”, justificou.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.