Advogados querem vetar uso de slogan de campanha em atos oficiais

Advogados querem vetar uso de slogan de campanha em atos oficiais

Sonia Racy

26 de fevereiro de 2019 | 14h49

RICARDO VÉLEZ RODRIGUEZ. FOTO: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

RICARDO VÉLEZ RODRIGUEZ. FOTO: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

Quatro advogados pediram nesta terça-feira, 26, à Justiça que a União e o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, sejam proibidos de usar o slogan da campanha presidencial de Jair Bolsonaro, “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”, em quaisquer comunicações e atos oficiais.

O Ministério da Educação (MEC) enviou, na segunda-feira, a todas as escolas do País, um e-mail pedindo que as crianças sejam filmadas cantando hino nacional e ouvindo uma carta de Vélez Rodríguez que termina com o slogan, como noticiou o Estado. O ministério já recuou da menção à frase e à filmagem.

O pedido dos advogados José Carlos Abissamra Filho, Marcelo Feller, Ricardo Nacle e a Juliana Maggi Lima pede ainda que seja suspensa a recomendação de filmar a leitura da carta.

Leia mais notas da coluna:
Caixa ainda tem ajustes para fazer e balanço não sairá tão cedo
Doria e Covas anunciam parceria para concessão de marginais