Advogado impetrou ação questionando a proporção entre cargos comissionados

Sonia Racy

03 de fevereiro de 2019 | 01h00

O número de cargos comissionados da Alesp entrou na linha de tiro de… um cidadão comum. O advogado Antonio Donadelli impetrou ação questionando a proporção entre cargos comissionados – ou seja, indicações políticas – e servidores efetivos – quadros técnicos.

Em iniciativa típica do MP.

Na ação, Donadelli aponta que a Assembleia paulista tinha, em dezembro, 3.127 comissionados e 636 efetivos. O STF decidiu, em outubro, que a livre nomeação se restringe a posição de chefia ou assessoria.

Donadelli quer que a Alesp seja forçada a mudar a proporção no prazo de um ano. O juiz da ação pediu que a Casa se manifeste, “ante a peculiaridade do caso”. O MP paulista terá que se pronunciar sobre o assunto.

Tendências: