Adversários do Minhocão vão pressionar Doria para rejeitar projeto

Adversários do Minhocão vão pressionar Doria para rejeitar projeto

Sonia Racy

15 Dezembro 2017 | 11h17

 FOTO ESTADÃO.COM

As ONGs que defendem a destruição do Minhocão voltam à luta. Querem que Doria vete o projeto que passou na Câmara, quarta à noite, que amplia os horários de uso exclusivo do local por pedestres e ciclistas — e que, na prática, mantém o elevado de pé. Para tanto, já estão fazendo contatos com o Ministério Público e ONGs paulistanas. O prefeito deve decidir em 30 dias.

Segundo grupos como o Desmonte o Minhocão, mantê-lo funcionando significa manter 230 mil moradores da área submetidos a um nível de poluição 79% superior ao do resto da cidade, segundo estudos da Faculdade de Medicina da USP.

O texto que passou na Câmara propõe fechar o Minhocão aos sábados, domingos e feriados em até 30 dias. Em 90 dias, passar a fechá-lo às 20 horas para carros. E, numa terceira etapa, fechá-lo nas férias de janeiro e dezembro.