Admiradores de óperas, uni-vos!

Sonia Racy

25 de abril de 2012 | 01h00

Aconteceu anteontem, no Teatro Municipal, a primeira reunião dos “Amigos do Anel”. Capitaneado pelo diretor André Heller Lopes e por Bea Esteve, a ideia do grupo é reunir apaixonados por ópera e incentivar a divulgação – com palestras, operetas e até noites de gala em torno dos espetáculos. “O Metropolitan Opera sabe bem como fazer isso, trazer o público para perto, tornar bem acessível”, diz Bea.

O nome do grupo é uma alusão ao ciclo de quatro óperas O Anel do Nibelungo, de Richard Wagner, do qual André já dirigiu A Valquíria e prepara O Crepúsculo dos Deuses – a ser encenada em agosto, no Municipal. Faltarão, assim, O Ouro do Reno e Siegfried. O diretor vislumbra trazer também estrelas internacionais para cantar no Brasil: “Podemos, sim, fazer noites especiais, por que não?”.

A noite de anteontem contou ainda com recitais privê dos cantores líricos Leonardo Neiva (barítono), Denise de Freitas (mezzo-soprano), Martin Muehle (tenor) e Cláudia Riccitelli (soprano). Que, claro, não cobraram cachê. /MARILIA NEUSTEIN

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.