Ad eternum?

Sonia Racy

20 de agosto de 2013 | 01h04

Se alguém tem dúvida sobre a confiança de Alckmin em Berenice Maria Giannella, presidente da Fundação Casa desde 2005, vai a informação: projeto de lei de autoria do governador tucano, devidamente aprovado pela Assembleia paulista e sancionado em junho, liberou recondução ilimitada ao cargo.

Pela antiga lei, de 1973, a presidência da entidade podia ser ocupada pela mesma pessoa por um período de oito anos. No caso de Berenice, completados em junho.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: