Acionistas da Vale devem contratar headhunter para escolher sucessor de Murilo Ferreira

Acionistas da Vale devem contratar headhunter para escolher sucessor de Murilo Ferreira

Sonia Racy

24 de fevereiro de 2017 | 16h06

 

 

FOTO WILTON JUNIOR/ESTADÃO

FOTO WILTON JUNIOR/ESTADÃO

Confirmada oficialmente hoje, sexta-feira, a saída de Murilo Ferreira da presidência da Vale — no dia 26 de maio –, a contratação de um novo dirigente segue novo curso. Depois de muitas conversas entre os acionistas controladores, sobre como seria conduzida esta substituição, formou-se um consenso ­em torno da contratação de empresa de headhunter.

Vale registrar que o mesmo ocorreu na contratação de Ferreira com prazo recorde. Os headhunters levaram ….cinco dias para chegar ao seu nome.

E aí vem a pergunta: de qual maneira o novo acordo de acionistas, divulgado esta semana, impacta a transição? Segundo fonte credenciada, em nada. O novo desenho será implementado no mesmo mês, logo depois da aprovação do novo nome durante reunião do conselho de administração.  

Hoje pela manhã, Ferreira comunicou, em teleconferência, que a decisão de deixar a Vale foi tomada na quinta-feira à noite, de forma antecipada. A razão desta antecipação? Fortes especulações sobre o tema. O governo e acionistas privados já haviam chegado a conclusão de que ele teria cumprido sua missão. Esta posição, somada ao fato de que Ferreira completa 65 anos em 2018, levou à decisão. Há limite legal da idade para ocupar a presidência, portanto a renovação de seu contrato, valeria, na prática, por apenas um ano.  

Tendências: