Acerto da Lava Jato com Petrobrás desagrada a acionistas da Sete Brasil

Sonia Racy

10 Agosto 2018 | 01h25

 

TERMINAL EM ILHA REDONDA. / FOTO PETROBRÁS

Acionistas privados da Sete Brasil não gostaram de saber ontem que, do R$ 1,034 bilhão devolvido à Petrobrás, por meio de acordos de colaboração e leniência celebrados no âmbito da Operação Lava Jato, exatos R$ 687 milhões são decorrentes de pagamento da Keppel Fels.

O estaleiro, ao dar propina para diretor da Sete Brasil, conseguiu contratos com a fornecedora, intermediária da Petrobrás.

Acontece que esse diretor da Sete Brasil, por contrato, foi indicado pela Petrobrás. E lesou a SB neste processo.
Quem então foi prejudicado nessa história: a Sete Brasil ou a Petrobrás?

Leia mais notas da coluna:

+ TRF-4 nega participação de Lula em debate

+ PT vai usar debate na Band como termômetro da ausência de Lula