Ação do PT contra Deltan cai com Lewandowski; ministro é crítico à Lava Jato

Sonia Racy

Você pode ler 5 matérias grátis no mês

ou Assinar a partir de R$1,90

Você pode ler 5 matérias grátis no mês

ou Assinar a partir de R$1,90

Você leu 4 de 5 matérias gratuitas do mês

ou Assinar a partir de R$1,90

Essa é sua última matéria grátis do mês

ou Assinar a partir de R$1,90

RICARDO LEWANDOWSKI. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

O pedido de senadores e deputados do PT para que o STF (Supremo Tribunal Federal) mande investigar os procuradores Deltan Dallagnol e Roberson Pozzobon caiu nas mãos de Ricardo Lewandowski, um dos membros da corte mais críticos à Operação Lava Jato.

A distribuição foi feita na sexta-feira, dia 19. A ação do PT trata de mensagens obtidas pelo site The Intercept Brasil segundo as quais os procuradores teriam a intenção usar o prestígio obtido com a operação para lucrar com palestras.

O ministro já tinha ficado, este mês, com uma demanda do partido para se investigue Sérgio Moro. Ele assume os processos em agosto, depois do recesso. Membro da Segunda Turma do Supremo, Lewandowski costuma votar contra a Lava Jato.

Leia mais notas da coluna:

+ Governo não deve mexer no FGTS agora, avalia Pastore

+ ‘Quem faz teatro no Brasil é um sobrevivente’, diz Jorge Takla

 

Tudo o que sabemos sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato