A voz das crianças

A voz das crianças

Sonia Racy

05 Janeiro 2017 | 00h30

Siria 7Adriana Carranca viajou para Alemanha, em meados de 2016, com um objetivo: entrevistar cinco crianças refugiadas da Síria. A ideia da autora estará em um futuro livro, ainda não concluído, a ser publicado pela Cia. das Letras. Uma das personagens com quem a escritora e jornalista teve a oportunidade de conversar é da região para onde foram encaminhados os civis retirados de Aleppo, em dezembro.

“A imagem mais forte dessa guerra é das crianças. É um período extenso e representativo da vida delas”, diz. “Além disso, com tantas mortes será dessa geração – completamente traumatizada – a responsabilidade de reconstruir o país depois da guerra”, afirmou a autora à coluna.

“O livro é também sobre como superar esse trauma e reconstruir uma vida”. Indagada sobre os últimos acontecimentos no país, ela diz ter ficado impressionada. “É muito difícil. Essas crianças tinham uma vida, família, escola, irmãos. Além da violência, que já é trágica, elas sofrem uma quebra cultural, de futuro, um rompimento completo da vida”, diz. “A criança não entende bem a situação geopolítica, é só o sofrimento pessoal. A guerra vista nua e crua”. / MARILIA NEUSTEIN