A voz da experiência

Redação

20 de janeiro de 2009 | 06h00

Suspense nesta terça na posse de Obama. Será que o presidente eleito incluirá, nas linhas mestras de sua gestão, os inúmeros conselhos públicos de Lula? Afinal, nunca antes na história desse planeta um presidente brasileiro deu tantas sugestões a um colega americano. Algumas:

1. Durante encontro com chefes de Estado em Foz do Iguaçu, avisou a Obama que se ele levar mais de um ano para resolver a crise americana poderá perder todo seu capital político.

2. “Acho que Evo e Obama vão ter que se encontrar.” Este mês, na Venezuela.

3. Na Costa do Sauípe, exaltou Obama a enxergar a autonomia da Venezuela e manter uma boa relação com Hugo Chávez.

4. Durante a visita de Raul Castro ao Brasil: “Eu espero que ele decida reatar com Cuba. Não existe mais nenhuma explicação política, sociológica, para o bloqueio. Será que é vingança?”

5. “Tudo isso (a vitória de Obama) começou na América do Sul. Obama é mais um passo disso”. Comparando Obama com Evo Morales, Fernando Lugo, Tabaré Vázquez – e, logicamente, com ele próprio.

6. “Impensável o mundo sem marcas do século 20, como a GM, a Chrysler e a Ford, que todos conhecemos e geram 3 milhões de empregos”.

7. Nós (presidentes da América Latina), não queremos ser vistos como um bando de esquerdistas, revolucionários, recebendo orientação de Cuba. Já não existe mais isso”. No final da reunião de cúpula na Bahia.

Leia outras notas no blog da coluna Direto da Fonte

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.